Portal Bahia Extremosul - Central de Notícias

publicado em 22/06/2016 às 14h57min

Lutz Viana, diretor executivo do Laticínio Da Vaca fala da seca que assola a região em café da manhã pra produtores

compartilha nas redes sociais:
Neuza Brizola/Bahiaextremosul.

 

 

 

O diretor executivo do laticínio Da Vaca e presidente do Sindleite, Sindicato das Industrias de Laticínios e Produtos Derivados da Bahia, Lutz Viana, realizou na manhã desta terça feira, 21 de junho, na sede da empresa, que fica localizada na cidade de Ibirapuã-BA, o tradicional café de São João para produtores, representantes da empresa e amigos.

 


O café de São João é organizado em clima festivo e conta com ornamentação temática e comidas típicas, uma forma de manter viva as nossas tradições nordestinas "esse café da manhã é onde nós reunimos os produtores de leite do laticínio Davaca e reunimos os amigos da imprensa para que a gente possa bater um papo e discutir os assuntos do momento, o que está acontecendo tanto no seguimento do leite como da agricultura e da pecuária” disse Lutz.

 

Em entrevista a nossa equipe, Lutz Viana falou da seca prolongada que tem causado muitos prejuízos ao produtor de leite. A questão da seca na região Sul da Bahia, porque ela não atinge só o extremo sul da Bahia, ela atinge também o Sul e Sudoeste da Bahia, a região nordeste de Minas Gerais e norte do Espirito Santo, é a maior seca dos últimos 10, 12 anos, resultado do El Nino muito forte, o que muito prejudicou toda nossa região. Existe já hoje aprovado uma prorrogação de debito junto ao Banco do Nordeste, é um ganho interessante que ajuda os produtores nesse momento difícil de seca. Uma noticia que também é boa, é que o El Nino já se finalizou e nos estamos em transição para a La Nina, então é o momento de mais chuvas, que deve ser a partir de setembro, ainda está longe, temos ainda 90 dias para vencer, mas se Deus quiser essa questão do clima de setembro em diante tudo indica que estará resolvido” concluiu o presidente.

 


CRISE PARA OS PRODUTORES

Com este período de crise que o país atravessa, o diretor do laticínio Da Vaca também falou das dificuldades que os produtores estão passando "eu entendo que a crise politica, ela vem de mais de dentro, e o produtor rural vem conseguindo separar os seus negócios das crises politicas do país, eu acho que nossa crise é de chuva, sem duvida nenhuma o país passa por uma crise política muito grande, uma crise econômica, com muito desemprego, mas o que mais esta nos prejudicando é a falta de chuva”.

 

 

PREJUIZO

Quando perguntado quais os prejuízos que os produtores tiveram por causa d estiagem prolongada, Luta disse que entende que que o numero hoje na queda da produção de leite nessas regiões do extremo sul, sul e oeste da Bahia, está em torno 60% de quebra de produção e automaticamente na queda de receita para o produtor de leite.

 

LATICINIO E NOVIDADES

Perguntamos quais as novidades que a empresa está preparando para os produtores e consumidores ainda este ano, apesar da crie e Lutz respondeu que "para os produtores nós estamos inaugurado um posto de leite em Itororó, no sudoeste da Bahia, para que possa fortalecer nossa produção de compra de leite naquela região, e estamos trabalhando firmemente para que a gente traga para Ibirapuã uma indústria de secar soro, que também vai produzir leite em pó. É um trabalho que estamos negociando com as instituições financeiras, buscando recurso para isso, mas o projeto já esta adiantado. Agora de pronto, vamos inaugurar agora em setembro a fabrica de rações Davaca, que é uma fabrica de ração voltada para o produtor de leite e também para o produtor de gado de corte. É uma fabrica para capacidade de 50 toneladas de ração dia, com a marca e a chancela da Davaca”.

 

Fica impossível conversar com Lutz Viana e não falar das eleições municipais que se aproximam, mesmo porque o diretor executivo da Da Vaca é considerado um líder político com poder de decisão no município.

 

POLITICA

Fica impossível conversar com Lutz Viana e não falar das eleições municipais que se aproximam, mesmo porque o diretor executivo da Da Vaca é considerado um líder político com poder de decisão no município, quando perguntamos sobre a sucessão municipal e se o grupo politico liderado por ele já tinha candidato, Lutz respondeu "eu estou bem afastado do dia a dia da politica, mas acredito que o prefeito hoje é um candidato em potencial a reeleição e que naturalmente deve sair algum candidato que eu não posso te dizer o nome, porque eu realmente não sei, mas eu, com o crescimento da nossa empresa, com os objetivos que nos traçamos a 4, 5 anos atrás, eu entendo que da politica municipal, da politica local, a gente entende que a nossa época passou, e que a gente tem que continuar seja qual for o prefeito que vier, que o povo votar, que o povo escolher, esse é o meu pensamento, é a minha ideia. Nos hoje estamos cuidando da politica institucional, da politica empresarial, que é uma politica mais global, que vai atingir todo o desenvolvimento do sul e extremo sul da Bahia.

 

Eu prefiro ir pelo caminho que ¨fui¨ oposição. A oposição existe, agora eu espero que criem uma liderança própria, que nasça na politica mais jovem, porque realmente a minha visão e o meu tempo está mais dedicado a politica empresarial da região”.

 

 

 

Presente no mercado há 23 anos o laticínio DaVaca conta com uma equipe composta por mais de 500 profissionais diretos nas áreas administrativas, de produção e de transporte. Além disso, conta com mais de 2.000 produtores rurais ativos, integrando a agricultura familiar e os produtores do Pronaf ao mercado de laticínios. A empresaconta atualmente com uma linha de 32 produtos no mercado, cerca de 950 toneladas de produção mensal, entre manteiga, cremes, queijos e leite em pó, distribuídos em todos os estados do Nordeste, excerto Ceará, além do Espírito Santo e São Paulo. Nos próximos 90 dias a marca DaVaca estará lançado no mercado a linha de queijos finos como parmesão e gouda. E segundo Lutz, a empresa já está desenvolvendo uma linha de secos como achocolatados e compostos lácteos.

 

Após o café um grupo de produtores da região Sudoeste da Bahia, como Itapetinga, Itarantim, Macarani, Maiquinique, entre outros municípios, participaram de um dia de campo na Fazenda Campo Grande, que também pertence ao proprietário da Laticínios Davaca, onde conheceram técnicas de manejo, pastagem e melhoramento genético para aumento da qualidade e produção leiteira.

Ibirapuã

Comentários

Para comentar esta notícia é necessário entrar com seu login no FACEBOOK.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também CATEGORIA GERAL

Trombose: conheça os principais sintomas e dicas para sua prevenção

Trombose: conheça os principais sintomas e dicas para sua prevenção

Teixeira de Freitas será monitorada por câmeras de vigilância

Teixeira de Freitas será monitorada por câmeras de vigilância

Nota de Falecimento

Nota de Falecimento

“O União Brasil espera ser exemplo e inspiração”, diz ACM Neto

“O União Brasil espera ser exemplo e inspiração”, diz ACM Neto

Últimas publicações